Logo TPC Group
  • Español
  • Português
  • English

Como as altas taxas de juros afetam as operações vinculadas?

A inflação obrigou os bancos centrais a aumentar as taxas de juros, o que implicará às operações financeiras entre entidades vinculadas.

Com relação aos Preços de Transferência, quando se fala do princípio do Comprimento do Braço, estabelece-se que as partes vinculadas devem operar similarmente a partes independentes em circunstâncias comparáveis. Nesse sentido, quando os termos e condições dos mercados financeiros mudam, haverá implicações nas operações financeiras entre entidades vinculadas.

Histórico

Em 2022, a inflação obrigou os bancos centrais a aumentar as taxas de juros. Essa tendência observou-se em instituições financeiras como o Banco Central Europeu ou a Reserva Federal dos Estados Unidos até a atualidade.

De alguma forma, as taxas de juros dos bancos centrais determinam o custo do financiamento dos bancos comerciais. O aumento nas taxas de juros dos bancos centrais leva ao aumento paralelo nas taxas de juros dos bancos comerciais, que afetam as entidades particulares em busca de financiamento.

Cadeias de valor dos grupos multinacionais

Nos grupos multinacionais, é comum que uma entidade centralize o financiamento com entidades financeiras independentes e, em seguida, financie às entidades relacionadas. A esse respeito, presume-se que uma entidade independente só financiaria aos seus tomadores se isso resultasse numa margem positiva para o credor.

Se os custos do financiamento aumentassem, seria necessário revisar as cadeias do valor dos grupos multinacionais em relação ao financiamento para assegurar a sua viabilidade.

Tesouraria do tomador

Devido ao aumento das taxas de juros, as entidades financeiras retomaram a remuneração dos depósitos bancários das empresas. Antes disso, quando as taxas de juros eram baixas, esses depósitos não se remuneravam ou se aplicavam taxas de juros negativas aos depósitos.

Portanto, no contexto do mercado atual, presume-se que uma entidade independente financiaria só se o retorno esperado superasse as suas oportunidades de investimento disponíveis ou que uma entidade independente com uma posição de tesouraria poderia ter incentivos para amortizar os instrumentos de dívida.

Estruturas de balanço agressivas em capital.

Visto que as altas taxas de juros reduzem o incentivo à dívida, os tomadores preferem as estruturas de balanço intensivas em capital, ou seja, o financiamento na forma de capital prevalecerá sobre o financiamento com dívida.

Uma empresa pode se financiar com recursos próprios (capital) ou com recursos tomados emprestados (dívida). A proporção entre um e outro é o que se conhece como estrutura de capital.

Por essa razão, é necessário entender que o caráter do mercado de uma operação mede-se não só pela sua taxa de juros, mas pelo conjunto de cláusulas e condições da operação.

Fonte: Legal Today 30/03/23

Noticias Relacionadas

SII: arrecadação fiscal e os Preços de Transferência

Segundo o relatório “Plano de Gestão de Conformidade Tributária 2024” emitido pelo SII (Servicio de Impuestos Internos — Serviço de Receita Federal), a arrecadação tributária de 2023 superou as expectativas estabelecidas, registrando um aumento de 39,8% em relação ao ano anterior.

LEER NOTICIA »