tpc
  • Español
  • English
  • Português
A Demonstração do Fluxo de Caixa sob a NIC 7

A Declaração de Fluxo de Caixa sob a IAS 7

Share

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

O que são fluxos de caixa?

Os fluxos de caixa são as entradas e saídas de caixa surgidas em uma entidade, principalmente como resultado da produção e venda de bens e/ou serviços para gerar lucros.

A IAS 7 define o seguinte:

  1. Os fluxos de caixa são as entradas e saídas de caixa e equivalentes de caixa.
  2. O caixa inclui tanto o caixa quanto os depósitos bancários à vista.
  3. Os equivalentes de caixa são investimentos de curto prazo, altamente líquidos e facilmente conversíveis em quantias específicas de caixa, que estão sujeitos a um baixo risco de mudanças de valor.

Quais são os diferentes fluxos de caixa?

Em entidades econômicas, a geração de caixa surge de ações que representam fluxos de caixa positivos, e a utilização dos mesmos, fluxos de caixa negativos. Assim, estes podem ser geralmente classificados da seguinte forma:

Fluxos de caixa positivos:

  • Cobranças de clientes.
  • Contribuições de capital dos acionistas.
  • Empréstimos bancários.
  • Venda de ativos.

Fluxos de caixa negativos:

  • Pagamentos a fornecedores.
  • Pagamentos de empréstimos bancários
  • Despesas operacionais, administrativas e outras
  • Pagamento de benefícios sociais e salários
  • Pagamento de dividendos
  • Novos investimentos

O que é a Norma que trata de caixa e fluxo de caixa?

A IAS (International Accounting Standard – Norma Internacional de Contabilidade) nº 7 reúne informações sobre as mudanças históricas no caixa e equivalentes de caixa de uma entidade mediante uma demonstração de fluxo de caixa na qual os fluxos de fundos para o período são classificados por atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

Por que o fluxo de caixa é importante?

As informações apresentadas pelos fluxos de caixa de uma entidade são essenciais para a continuidade das operações. Conhecer o fluxo de caixa permite que os usuários das demonstrações financeiras saibam:

  • A capacidade da entidade de gerar caixa e equivalentes de caixa
  • As necessidades da entidade para utilizar os fluxos de caixa
  • As necessidades de financiamento ou investimento

Cada entidade deve administrar e controlar adequadamente a liquidez para fazer frente à continuidade de suas operações e a qualquer situação que possa surgir dentro de seus orçamentos para obter rentabilidade e solvência a curto, médio e longo prazo.

Neste sentido, o melhor cenário para a gestão de caixa é aumentar a entrada de caixa, gerada principalmente pelas vendas de bens e/ou serviços, e coletar dinheiro rapidamente (dinheiro, adiantamentos). Além disso, reduzir as saídas de caixa, descontando a compra de materiais e/ou reduzindo despesas desnecessárias e atrasando os pagamentos por meio do aumento das condições de pagamento.

Classificação dos fluxos de caixa conforme a IAS 7

A demonstração dos fluxos de caixa informará os fluxos de caixa durante o período, classificados por atividade:

  • As atividades operacionais são aquelas que constituem a principal fonte de renda da entidade, assim como outras atividades que não podem ser classificadas como de investimento ou financiamento.
  • As atividades de investimento são aquelas de aquisição e alienação de ativos de longo prazo e outros investimentos não incluídos em equivalentes de caixa.
  • As atividades de financiamento são aquelas que produzem mudanças no tamanho e na composição do capital e dos empréstimos da entidade.
Islava Zulema Ruiz Quiroz
Formada em Contabilidade Pública

Noticias Relacionadas

Como podemos ajudá-lo?

    Para entrar em contato conosco, você deve preencher o seguinte formulário