• Español
  • English
  • Português
Paraísos fiscais: O que são e onde você pode encontrá-los?

Paraísos Fiscais: Definição e Localização

Share

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

“Paraísos fiscais” é um termo amplamente utilizado por várias décadas. Entretanto, tornou-se novamente controverso por causa do caso “Panamá Papers” em 2018.

Caros empresários e severamente julgados por diferentes países despertaram grandes lutas para detê-los devido à evasão fiscal causada por suas taxas de impostos baixas ou quase nulas para empresas de capital estrangeiro e favorecem a lavagem de dinheiro por falta de transparência na informação.

Portanto, as diferentes legislações fiscais incorporaram no sistema tributário a regulamentação de Transfer Pricing e Transparência Fiscal Internacional para empresas ou entidades residentes em paraísos fiscais.

O Chile não é uma exceção, regulando também dentro de seu regime de Preços de Transferência as operações realizadas com entidades domiciliadas ou residentes em paraísos fiscais, também conhecidos como países de baixa ou nula tributação.

Este artigo esclarece certas dúvidas quanto à sua definição, origem e tratamento sob a legislação chilena.

O que são paraísos fiscais?

Trata-se de um território, país ou estado com impostos muito baixos ou quase nulos.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) apontou certas características para reconhecê-los como segue:

  • Não há tributação ou tributação nominal de impostos.
  • Falta de transparência fiscal.
  • A existência de leis ou práticas que impedem o intercâmbio de informações fiscais com outros países.
  • A não exigência de qualquer atividade real para as empresas domiciliadas neste país ou território.

Quais são suas origens?

O termo se origina no século XIX de alguns estados dos Estados Unidos, como Delaware, que incorporou uma política de compra de empresas em menos de 24 horas, criando condições altamente favoráveis para elas.

Este modelo foi levado à Europa devido a seu sucesso no início do século XX, sendo a Suíça um dos primeiros países a praticá-lo e a incorporar o sigilo bancário.

Posteriormente, em 1950, o Banco da Inglaterra decidiu não regular as operações de clientes estrangeiros não-residentes realizadas nos bancos deste país. Assim, o capital migrou para territórios britânicos, como as Ilhas Man, Guernsey e Jersey, causando ainda mais expansão.

Qual é a definição ou conceito do Chile em relação aos paraísos fiscais?

A legislação tributária chilena se refere aos paraísos fiscais como territórios com baixa ou nenhuma tributação ou regimes fiscais preferenciais.

A definição disso está no Artigo 41-G, parágrafo b), e no Artigo 41-H, indicando que esses territórios ou jurisdições devem cumprir pelo menos dois dos seis requisitos seguintes para serem considerados como tal:

  • A taxa tributária efetiva sobre a renda de origem estrangeira deve ser inferior a 50% da taxa do Imposto Adicional da Renda (35%). A tributação efetiva resultará da divisão do imposto estrangeiro líquido determinado pelo lucro líquido ajustado.
  • A jurisdição ou território não tem um acordo com o Chile para o intercâmbio de informações fiscais.
  • O território ou jurisdição carece de legislação que habilite sua Administração Fiscal a realizar uma auditoria de preços de transferência.
  • Não reúnem as condições para considerar que as normas internacionalmente aceitas sobre transparência e intercâmbio de informações fiscais, de acordo com a OCDE, foram total ou parcialmente cumpridas.
  • Manter um ou mais regimes fiscais preferenciais que não estejam de acordo com as normas ditadas pela OCDE.
  • Jurisdições ou territórios tributados com base em um sistema territorial.

Da mesma forma, se estabelece que um país membro da OCDE não se considerará um país com regimes baixos, não-tributários ou preferenciais.

Lista de paraísos fiscais para o Chile

De acordo com a Resolução Isenta Nª55 de 2018, tais países são os seguintes:

Emirados Árabes Unidos

Guam

Palestina

Afeganistão

Guiné-Bissau Palau
Antígua e Barbuda Guiana

Qatar

Anguila

Hong Kong Reunião
Armênia Ilha Heard e Ilhas McDonald

Sérvia

Angola

Honduras Ruanda
Samoa Americana Haiti

Ilhas Salomão

Ilhas da Terra

Território Britânico do Oceano Índico Seychelles
Bósnia-Herzegovina Iraque

Sudão

Bangladesh

República Islâmica do Irã St. Helena, Ascension, and Tristan da Cunha
Bahrein Jordânia

Svalbard e Jan Mayen

Burundi

Quirguizistão Sierra Leoa
Benin Camboja

Somália

São Bartolomeu

Kiribati Suriname
Bermudas Comores

Sul do Sudão

Brunei Darussalam

República Popular Democrática da Coréia São Tomé e Príncipe
Bonaire, Sint Eustatius e Saba Kuwait

El Salvador

Bahamas

Ilhas Cayman Sint Maarten (parte holandesa)
Butão República Popular Democrática do Laos 

A República Árabe da Síria

Ilha Bouvet

Sri Lanka Suazilândia
Botsuana Libéria

Ilhas Turcas e Caicos

Belarus

Líbia Chade
Belize República da Moldávia

Territórios Franceses do Sul

Ilhas Cocos (Keeling)

Montenegro Togo
A República Democrática do Congo Sint Maarten (parte francesa)

Tailândia

A República Centro-Africana

Madagascar Tajiquistão
Congo Ilhas Marshall

Tokelau

Costa do Marfim

Mali Timor-Leste
Costa Rica Mianmar

Turcomenistão

Cuba

Mongólia Tonga
Cabo Verde Macau

Trinidad e Tobago

Curaçao

Ilhas Marianas do Norte Tuvalu
Ilha de Natal Martinica

Taiwan (Província da China)

Djibouti

Maurício República Unida da Tanzânia
Dominica Maldivas

As Ilhas Menores Distantes dos Estados Unidos (Estados Unidos)

Argélia

Malauí Uzbequistão
Egito Malásia

Santa Sé

Saara Ocidental

Moçambique República Bolivariana da Venezuela
Eritreia Namíbia

Ilhas Virgens (Britânicas)

Etiópia

Nova Caledônia Ilhas Virgens (E.U.A.)

Fiji

Níger

Vietnã

Ilhas Malvinas Ilha Norfolk

Vanuatu

Estados Federados da Micronésia

Nicarágua Wallis e Futuna
Granada Nepal

Iêmen

Guiana Francesa

Omã Mayotte
Gâmbia Polinésia Francesa

Zâmbia

Guiné

Papua Nova Guiné Zimbábue
Guadaloupe São Pedro e Miquelon

 

Guiné Equatorial

Pitcairn  
Geórgia do Sul e as Ilhas Sandwich do Sul Porto Rico

Qual é o tratamento dado aos paraísos fiscais no Chile?

Como se indicou anteriormente, a legislação tributária chilena regulamentou as transações realizadas entre um contribuinte domiciliado no Chile e um contribuinte domiciliado ou residente em um território com um regime fiscal baixo ou não tributário ou regime fiscal preferencial (paraíso fiscal) através das regras de Preços de Transferência.

Estas estão estabelecidas no artigo 41 E da Lei do Imposto de Renda.

Portanto, qualquer transação realizada com um paraíso fiscal deve estar sob o Princípio do Comprimento do Braço, se os preços estiverem ao valor de mercado.

Noticias Relacionadas

Como podemos ajudá-lo?

    Para entrar em contato conosco, você deve preencher o seguinte formulário