Costa Rica

Preços de transferência na Costa Rica

REGULAMENTAÇÃO DOS PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA NA COSTA RICA


Os preços de transferência na Costa Rica têm como pano de fundo normativo a Diretriz Interpretativa N°20-03.

Entretanto, foi somente em 2013, com a publicação do Decreto 37898-H, que foi emitida uma regulamentação mais ampla sobre o assunto, que indicou o escopo de aplicação, regras de compromisso, obrigações formais, entre outras.

Da mesma forma, em setembro de 2016, a Resolução nº DGT-R-44-2016 foi emitida pela Diretoria Geral de Tributação (DGT) estabelecendo as diretrizes para a devolução de informações sobre preços de transferência.

Posteriormente, em 2018, os regulamentos de preços de transferência foram incorporados à Lei do Imposto de Renda (LISR) pela Lei No. 9635 e em 2019, pelo Decreto Executivo No. 41818, eles foram incorporados aos regulamentos.

Ao mesmo tempo, a fim de cumprir as diretrizes indicadas pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) na Ação 13 do Plano BEPS (Base e Erosão e Transferência de Lucros) sobre documentação de preços de transferência, foi emitida naquele ano a Resolução No. DGT-R-001-2018, estabelecendo a obrigação do Relatório País por País.

Além do acima exposto, em 2019 foi emitida a Resolução nº DGT-R-49-2019, pela qual o contribuinte que realiza transações com partes relacionadas deve ter um relatório informativo da empresa local e um relatório informativo corporativo.

Princípio da plena concorrência: Conceito


O princípio da livre concorrência ou “arm’s length” é entendido como significando que os preços acordados entre partes relacionadas estão ao valor de mercado, ou seja, que os preços das transações são determinados como se tivessem sido feitos por partes independentes.

No caso da legislação de preços de transferência na Costa Rica, isto é regulamentado atualmente pelo artigo 81 bis do LISR.

Este artigo estabelece que os contribuintes que realizam transações com partes relacionadas devem determinar sua renda ou deduções de acordo com o princípio da livre concorrência, ou seja, como se as tivessem concluído com partes independentes.

Definição de Partes Relacionadas na Costa Rica


De acordo com o Artigo 68 do Regulamento do LISR, as pessoas físicas são consideradas partes relacionadas, assim como as pessoas jurídicas e outras entidades residentes ou não na Costa Rica, desde que participem direta ou indiretamente da administração, controle ou capital do contribuinte.

Da mesma forma, eles também são considerados vinculados quando as mesmas pessoas participam direta ou indiretamente da mesma forma como indicado acima.

Em relação a isto, o artigo acima mencionado indica que eles serão considerados partes especificamente ligadas a eles:

  • Indivíduos ou pessoas jurídicas que se encontrem em qualquer uma das seguintes situações:
  1. Quando a pessoa dirige, controla ou possui outro, direta ou indiretamente, em 25% ou mais de seu capital ou direitos de voto.
  2. Quando cinco ou menos pessoas dirigem ou controlam ambas as pessoas jurídicas, ou detêm, direta ou indiretamente, pelo menos 25% do capital ou dos direitos de voto.
  3. Quando as pessoas jurídicas constituem uma única unidade de decisão. Será entendido como tal, desde que alguns dos seguintes casos estejam envolvidos:
    • Eles têm a maioria dos direitos de voto.
    • Eles têm o poder de nomear ou remover a maioria dos membros do órgão administrativo.
    • Maio, de acordo com acordos com outros parceiros, tem a maioria dos direitos de voto.
    • Ter a maioria da administração com seus direitos de voto exclusivamente.
    • Tanto a pessoa jurídica dominante quanto a dominada têm os mesmos membros em seus órgãos administrativos.
  4. Quando duas ou mais pessoas jurídicas formam, cada uma, uma unidade de decisão com respeito a uma terceira pessoa jurídica.
  • Eles também serão constituídos como partes relacionadas:
  1. Quando uma das partes contratantes ou associados participa em mais de 25% nos resultados ou lucros, no caso de um contrato de colaboração comercial ou uma joint venture.
  2. O distribuidor ou agente exclusivo do mesmo, residente no exterior, no que diz respeito à pessoa residente no país.
  3. Um distribuidor ou agente exclusivo residente no país de uma entidade residente no exterior e este último.
  4. O estabelecimento permanente no exterior, no que diz respeito à pessoa residente no país.
  5. Um estabelecimento permanente localizado no país e sua matriz residente no exterior, outro estabelecimento permanente do mesmo ou uma pessoa relacionada a ele.

Além disso, o regulamento estabelece que um vínculo é presumido quando se opera com uma pessoa ou entidade que tem como residência em uma jurisdição extraterritorial não cooperante, entendida como aquelas que se encontram em qualquer uma das seguintes situações:

Jurisdições que têm uma alíquota mais de 40% menor do que a estabelecida para o imposto sobre lucros na Costa Rica.
Jurisdições com as quais a Costa Rica não tem um acordo para evitar a dupla tributação ou para trocar informações com a Administração Fiscal do país.

Método de Preços de Transferência na Costa Rica


De acordo com o artigo 70 do Regulamento, a fim de poder analisar se os preços acordados entre as partes relacionadas estão de acordo com o princípio da livre concorrência, são estabelecidos os seguintes métodos de preços de transferência:

  • Método de Preço Comparável Não Controlado.
  • Método de Custo Adicional.
  • Método do Preço de Revenda.
  • Método de participação nos lucros.
  • Método da Margem de Transação Líquida.

Aponta também que, no caso de commodities, é permitido o uso de uma metodologia baseada na avaliação internacional nos mercados de commodities.

Critérios de comparabilidade na Costa Rica


O artigo 60 do Regulamento da SRPL estabelece que, para realizar a análise de comparabilidade, os seguintes critérios devem ser levados em consideração:

  • Características da operação a ser analisada.
  • Funções, atividades e riscos da transação.
  • Condições contratuais.
  • Circunstâncias econômicas ou de mercado.
  • Estratégias comerciais.
  • Identificação e análise de preços de transações comparáveis.

Documentação e Declaração Informativa de Preços de Transferência na Costa Rica


A legislação de preços de transferência na Costa Rica prevê no Regulamento do LISR, artigos 72 e 73, uma declaração juramentada informativa de preços de transferência e documentação de apoio, respectivamente.

Declaração de Informativa do Preços de Transferência


O artigo 72 do referido Regulamento estabelece que os contribuintes que cumprirem qualquer uma das seguintes situações serão obrigados a apresentar uma declaração de informações à Direção Geral de Tributação:

Aqueles que realizam transações com partes relacionadas e estão na categoria de grandes contribuintes nacionais ou grandes empresas territoriais, assim como aquelas pessoas ou entidades em uma zona franca.

Que realizam operações com empresas relacionadas e que, separada ou conjuntamente, excedam o montante equivalente a 1.000 salários base no ano correspondente.

Por sua vez, em janeiro de 2018, a Resolução nº DGT-R-001-2018 estabeleceu a obrigação de apresentar o Relatório País por País para aquelas entidades ou grupos multinacionais com faturamento bruto global e acumulado igual ou superior a 750 milhões de euros ou seu equivalente e que se encontrem em uma das seguintes situações:

  1. É uma entidade dominante de alto nível de um grupo multinacional, que é um residente fiscal da Costa Rica.
  2. No caso de uma entidade controladora substituta estar autorizada a apresentar o relatório.

Tal relatório, de acordo com o Artigo 5 da Resolução mencionada acima, deve ser apresentado até 31 de dezembro do ano seguinte às transações com partes relacionadas.

Documentação Comprobatória de Preços de Transferência


De acordo com o artigo 73 do Regulamento, os contribuintes sujeitos às regras de preços de transferência devem ter documentação sobre a avaliação de suas transações, que deve estar disponível para a Administração Fiscal.

Da mesma forma, através da Resolução DGT-R-49-2019, foram emitidas medidas relativas às informações a serem documentadas, segundo as quais o contribuinte deve ter um relatório informativo da empresa local (Relatório Local) e um relatório informativo corporativo (Relatório Mestre), isto de acordo com a Ação 13 do BEPS sobre documentação de preços de transferência.

Tais informações são anuais e, como mencionado, devem estar disponíveis para a DGT.

Sanções por Não Cumprimento


De acordo com o Artigo 83 do Código Costarriquenho de Normas e Procedimentos Tributários, o não fornecimento total ou parcial das informações dentro do período de tempo especificado por lei ou regulamento acarreta uma penalidade equivalente a (2%) da renda bruta do infrator, no período de tributação do lucro, anterior àquele em que a infração ocorreu, com um mínimo de três salários básicos e um máximo de cem salários básicos.

Ranking de Preços de Transferência 2021

Temos o prazer de informar que pertencemos ao Ranking 2021 de Preços de Transferência por World TP na Costa Rica

Newsletter

    Inscreva-se em nossa Newsletter internacional

    Como podemos ajudá-lo?

      Para entrar em contato conosco, você deve preencher o seguinte formulário

      Escritórios na Costa Rica
       Av. 28 Villanea, as ruas 50 e 46, Hatillo, San José – Costa Rica
      contacto@tpcgroup-int.com
       +506 40100554
      Costa Rica